Temple Grandin: 8 passos para a colocação de bovinos em novas áreas, visando um manejo sem estresse

Por Temple Grandin, professora do Departamento de Ciência Animal da Universidade do Estado do Colorado e especialista em manejo de bovinos, métodos de abate humanitário e bem-estar animal.

Captura-de-Tela-2014-02-24-às-14.52.44

Em regiões ocidentais dos Estados Unidos que estão em condições de seca, os pecuaristas e os gerentes de confinamentos estão se tornando cada vez mais interessados em colocar grupos de animais longe das áreas ribeirinhas e induzi-los a ficar sem o uso de cercas. Bud Williams e outras pessoas qualificadas estão obtendo sucesso na colocação dos animais, mas isso requer um alto grau de habilidade para se conseguir que os bovinos fiquem onde foram colocados.

Recentemente conversei com vários tratadores de bovinos que não estavam conseguindo fazer com que os animais ficassem onde foram colocados. Algumas perguntas revelaram que eles violaram o princípio básico de manejo de bovinos, ou seja, eles admitiram que gritaram e exerceram manejos violentos, o que resultou  na separação das vacas e suas crias, quando parte do rebanho retornou à sua localização anterior.

Passos para a colocação (alocação) de bovinos, visando um manejo sem estresse:

Em sua apresentação, Tina Williams enfatizou os seguintes pontos. Aprender esse método requererá tempo e paciência.

1- Os bovinos precisam ser ensinados a aceitar a pressão das pessoas que estão fazendo o manejo, antes de colocá-los em outro local. Isso pode levar 45-60 minutos.

2- Nunca perseguir os animais fora da área ribeirinha. Bovinos assustados não podem ser colocados em outros locais com sucesso e eles retornarão a sua origem.

3- O método em ziguezague é feito dentro dos limites de área de deslocamento na direção desejada e é usado para induzir os animais a formarem grupos (Figura 1 e 2). Williams aconselha: “Deixe o gado iniciar o movimento”.

Captura de Tela 2014-02-27 às 11.57.19

Captura de Tela 2014-02-27 às 11.55.03

Em algumas de suas publicações, Tina diz que os animais devem ser induzidos a formar um grupo solto antes do movimento de ziguezague ser usado para que entrem na área de deslocamento dos animais na direção desejada, mais profundamente, para iniciar o movimento (Figura 3). Você precisa praticar pressão e relaxamento. Pressão continuará fazendo com que os animais corram quando começarem a se mover para onde você quiser; recue e reduza a pressão.

Captura de Tela 2014-02-27 às 11.54.24

4- Permita que o animal mais lento determine a velocidade. Quando falei para um dos tratadores mencionados no começo desse artigo, ele admitiu que ficava frustrado com os animais lentos. As pessoas precisam usar seu tempo e se movimentar na velocidade do animal mais lento.

5- Não persiga os poucos animais que estão retardatários. Deixe o cavalo em lida para reagrupar gado em casa. Quando estão com baixo estresse, o agrupamento livre de bovinos funciona, os retardatários solitários sairão dos arbustos e se unirão ao rebanho. Deixe o movimento natural do rebanho atrair os retardatários.

6- Quando você tiver o local desejado, reduza a pressão quando fizer o ziguezague. Certifique-se de que os animais encontraram fontes de água. Comece o processo de colocar os animais no local desejado, calmamente colocando os líderes de volta ao rebanho.

7- Antes de as pessoas deixarem os animais, eles precisam estar pastando em orientações aleatórias. As pessoas não devem sair quando os animais ainda estão se alinhando. Uma boa forma de conceituar isso é que o cérebro dos animais precisa estar em modo “relaxado de pastagem” e não em modo de “procurando companheiros de rebanho e se movendo”. Os animais se movem em posições de orientação aleatória quando estão relaxados, concentrando em comer.

8- É preciso boa pastagem e alimentos no novo local. Os animais não ficarão em pastagens ruins.

Marque na sua agenda: BeefPoint realizará grande evento com Temple Grandin, referência mundial em bem-estar animal, na primeira semana de maio de 2014.

Captura de Tela 2014-02-24 às 15.03.03

Fonte: beefmagazine.com, traduzida e adaptada pela Equipe BeefPoint.


ou utilize o Facebook para comentar