-A +A

Utilização da suplementação de precisão na redução dos inconvenientes da desmama

Por Fernando José Schalch Júnior*

Minimizar os inconvenientes resultantes do processo de desmama é um tema muito discutido no mundo acadêmico e no dia a dia de fazendas produtoras de bezerros. Existem várias técnicas de manejo disponíveis, cada uma com sua aplicabilidade e importância, mas neste material focaremos nas questões nutricionais e em como podemos amenizar os impactos negativos desse período crítico sobre o desempenho dos animais através de estratégias de suplementação e aplicação da suplementação de precisão.

A produção de bezerros tem se destacado nos últimos anos como a atividade menos rentável da pecuária de corte. A Figura 1 apresenta os resultados médios de rentabilidade dos diferentes sistemas de produção em 10 estados da federação. A mesma sinaliza que com a aplicação de tecnologias de intensificação é possível incrementar lucros significativos para as atividades e isso passa pela boca do animal. A utilização de pastagens renovadas e/ou recuperadas e a utilização de suplementos estratégicos serão os grandes responsáveis em viabilizar a pecuária sustentável e moderna.

Figura 1. Rentabilidade média das diferentes atividades pecuárias no ano de 2011 nos estados de SP, MG, MS, MT, GO, TO, PR, RO, PA e RS, considerando três patamares de intensificação e produtividade (Fonte – BIGMA CONSULTORIA).

Não tem segredo: quem quiser ganhar dinheiro com a produção de bezerros terá que produzir mais bezerros por ha/ano, seja por aumento na eficiência reprodutiva das vacas e/ou por desmamar bezerros mais pesados.

A utilização de suplemento mineral proteico é uma ferramenta de suplementação estratégica para elevar o desempenho de bovinos em pastejo. Sua utilização em períodos de seca torna-se “obrigatória” para corrigir o déficit proteico das pastagens nessa época crítica do ano. No período de águas e transição águas/secas isso tem se mostrado muito eficiente no aumento dos índices produtivos.

Na grande maioria das propriedades brasileiras a desmama de bezerros ocorre no período que compreende os meses de março, abril e maio. O resultado é que esses animais são submetidos ao pastejo de plantas maduras, nas quais os teores de proteína e carboidratos digestíveis sofrem um declínio acentuado, devido à diminuição na quantidade de chuvas e queda nas temperaturas e luminosidade nesse período. Quando aliado a uma menor taxa de crescimento da forrageira provocam a queda no desempenho dos animais.

A Figura 2 mostra a diminuição da matéria-seca (MS) produzida/ha/dia e a % de proteína bruta (PB) do capim Mombaça ao longo dos meses, como exemplo.

Figura 2. MS produzida/ha/dia e a % de PB do capim Mombaça ao longo dos meses (Fonte: adaptado de BUENO – 2003).

O objetivo de fornecer proteína bruta adicional para bovinos é promover um aumento do suporte proteico e fornecimento de nitrogênio, que contribui para um maior crescimento microbiano no rúmen, e que leva a um aumento da degradação dos nutrientes favoráveis à produção. Em alguns casos, observa-se aumento no consumo de matéria seca pelos animais e aumento de ingestão de nutrientes, o que potencializa o seu desempenho (interação sinérgica do suplemento com o pasto).

A inclusão de aditivo promotor de crescimento e eficiência alimentar nas formulações de suplementos minerais proteicos pode melhorar ainda mais esse resultado. Na dose certa, pode elevar em média 16% o ganho de peso dos animais. A função destes aditivos é aumentar a eficiência de aproveitamento dos nutrientes ingeridos da pastagem e do suplemento, otimizando o desempenho animal.

Na prática, para cada 1g de proteína bruta adicional fornecida, em média obtém-se o retorno de 2g de ganho em peso bruto. Ou seja, animal de 200 kg ganha após desmama 400g a pasto com mineral convencional; com a utilização de 200g do suplemento mineral proteico com aditivo (30% de PB – período de águas e transição) podemos estimar e elevar para um ganho de 600 g/animal/dia (400g + 120g + 16% = 600g/animal/dia, sendo 120g de ganho de peso via proteína).

ZERVOUDAKIS et al.(2002) suplementaram novilhos (peso médio de 258kg) a pasto no período de transição águas-secas com quatro tipos diferentes de suplementos: mistura mineral à vontade (SAL); sal branco e milho grão moído (MGS); ureia e milho grão moído (UMG); e ureia, farelo de soja e milho grão moído (UFSMG). Os autores constataram efeitos benéficos de suplementação proteica (UFSMG), que proporcionou desempenhos superiores em 40%, 42% e 19%, em relação aos tratamentos mistura mineral, MGS e UMG, respectivamente (Tabela 01).

Tabela 1. Desempenho dos animais.

Animais em período de desmama são considerados muito exigentes em nutrientes, pois estão em pleno crescimento de ossos e músculos, e as deficiências são agravadas pelo período crítico do manejo da desmama (estresse principalmente). Em contrapartida, trata-se de uma categoria animal que responde muito bem às estratégias de suplementação, pois possui excelente potencial de conversão de alimentos em peso corporal.

A suplementação mineral proteica para animais recém-desmamados é uma estratégia interessante para amenizar os efeitos negativos da desmama e proporcionar um ganho de peso superior ao encontrado comumente no pasto. O período ideal para utilização do suplemento mineral proteico das águas (30% de PB) seria de abril a maio (níveis de proteína bruta acima de 6,5% no pasto). Depois deste período, o indicado seria o aumento de fornecimento de proteína através de um suplemento mineral proteico para seca (40% de PB ou mais), se estendendo até meados de outubro/novembro.

Uma dica interessante é o início da utilização do suplemento mineral proteico antes do período de desmama, inclusive na presença das mães, pois estas irão estimular e adaptar os animais a chegarem aos cochos e consumirem o suplemento. Outro ponto importante é que em sistemas de creep-feeding é interessante a manutenção do fornecimento do suplemento utilizado por um período de até 30 dias após o desmame.

As deficiências nutricionais também interferem no estado sanitário dos animais e indiretamente na saúde e desenvolvimento dos mesmos, principalmente pelo fornecimento incorreto de minerais. Nesse sentido, o fornecimento do suplemento mineral proteico reduz os efeitos negativos das deficiências, por conter os minerais em quantidades adequadas, inclusive para o ganho de peso superior estimado, principalmente durante o estresse da desmama em bezerros.

A suplementação estratégica de bezerros na desmama tende a ser a ferramenta de suplementação ideal para antecipação da idade de abate e aumento da eficiência dos sistemas produtivos de recria, principalmente pelo baixo investimento no suplemento (consumo ao redor de 0,1% do peso animal).

Bezerro Nelore – Faz. Liberdade do Mato Dentro (São Luiz do Paraitinga/SP) – Crédito da foto: Ricardo Silveira Oliveira Lima.

Por Fernando José Schalch Júnior, Zootecnista (USP Pirassnunga) responsável técnico da Minerthal.

Referências Bibliográficas

BUENO, A.A. de O. Características estruturais do dossel forrageiro, valor nutritivo e produção de forragem em pastos de capim Mombaça submetidos a regimes de lotação intermitente. Piracicaba, 2003. Dissertação (mestrado) Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, 124p.

PAULINO, M.F., DETMANN, E., ZERVOUDAKIS, J.T. Suplementos múltiplos para recria e engorda de bovinos em pastejo. In: SIMPÓSIO DE PRODUÇÃO DE BOVINOS DE CORTE, 2, 2001, Viçosa. Anais… Viçosa:UFV, 2001. p.187-232.

PAULINO, M.F., DETMANN, E., ZERVOUDAKIS, J.T.; MORAES, E. H. B. K. de; DETMANN, E.; VALADARES FILHO, S. C. Bovinocultura de ciclo curto em pastagens. In: SIMPÓSIO DE PRODUÇÃO DE BOVINOS DE CORTE, 2002, Viçosa. Anais… Viçosa:UFV, 2002. p.153-196.

ZERVOUDAKIS, J.T.; PAULINO, M. F.; DETMANN, E.; et al. Associação de diferentes fontes protéicas em suplementos múltiplos de auto-controle de consumo, para recria de novilhos em pastagens durante o período de transição águas-seca. In: REUNIÃO ANUAL DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE ZOOTECNIA, 39, 2002, Recife. Anais…Recife: SBZ, 2002 (CD-ROM) (no prelo).

Assine nossa newsletter!

Enviar