-A +A

Lona preta versus lona dupla face na vedação de silos: viabilidade econômica

O mercado brasileiro de lonas plásticas para a vedação de silos horizontais disponibiliza aos consumidores basicamente dois tipos de lonas, a lona de coloração preta e a lona dupla face, ambas confeccionadas em polietileno.

Pesquisas recentes demonstraram superioridade da lona de 200 µm dupla face em relação à lona de 200 µm preta, em relação à menor presença de microrganismos aeróbios e menores perdas de matéria seca na camada superior do silo (Bernardes et al., 2009). A lona dupla face por apresentar uma camada de plástico de coloração branca, reflete parte da luz solar incidente, permitindo menor aquecimento e menor entrada de oxigênio na massa.

Apesar de evidenciado por pesquisas científicas a viabilidade da lona dupla face, também se torna necessário apresentar se existe viabilidade econômica no uso deste material. Dessa forma, adotamos um modelo para exemplificar qual a melhor tomada de decisão para a compra da lona para vedação do silo.

A Figura 1 apresenta um silo trincheira de 30 metros de comprimento, base menor de 4 metros, base maior de 5,5 metros e altura de 3 metros. Apesar do silo apresentar 3 metros de altura, considerou-se com o abaulamento do silo, altura de 3,40 metros. A partir de dados de pesquisas, assumiu-se que 56 cm da camada superior sofre influência do tipo de lona utilizado, o qual representa no exemplo 2,31 m2 de área do painel e 69,30 m3 de volume.

O tipo de volumoso utilizado foi o milho, onde se considerou teor de matéria seca de 30% e custo de R$ 306,00/t MS (Amaral, 2009 – Dados pessoais). A cotação do preço das lonas foi realizada no município de Piracicaba no mês de setembro de 2009, onde o valor encontrado para lona preta de 200 µm foi R$ 0,85/m2 e R$ 1,05/m2 para lona de 200 µm dupla face.

Para o silo em questão, a quantidade de lona necessária será de 30 metros (comprimento do silo), 3 metros de sobras para cada extremidade e, a bobina deverá apresentar 8 metros de comprimento (em função da largura da base maior). Assim, serão necessários 36 metros de comprimento por 8 metros de largura, totalizando 288 m2 de lona. Esse valor de área gera um custo de R$ 244,80 para lona preta e de R$ 302,40 para lona dupla face, ou seja, até o momento a lona dupla face apresentou acréscimo de R$ 57,60 em relação à lona preta para as dimensões do silo em questão.

Segundo Bernardes et al. (2009), silagens de milho armazenadas com lona preta de 200 µm apresentaram perdas de matéria seca de 20% na camada superior do silo ao passo que as silagens vedadas com lona dupla face de 200 µm proporcionaram perdas de 12% de matéria seca.


Figura 1. Dimensões de um silo trincheira.

A partir desse dado, é possível calcular a quantidade e o custo da silagem armazenada na região periférica do silo. No exemplo, o volume da camada superior é de 69,3 m3 e considerando que essa região do silo apresenta densidade de 550 kg MV/m3, a quantidade de forragem no momento da ensilagem será de 38,12 t MV ou 11,44 t MS (considerando 30% MS da forragem). Dessa forma, pode-se inferir que neste volume de massa (11,44 t MS), o silo vedado com a lona preta terá 8% de perdas a mais quando comparado ao silo vedado com lona dupla face, ou seja, 920 kg MS perdido.

Portanto, o silo vedado com lona preta apresentou 0,92 t MS de perdas a mais do que o silo vedado com a lona dupla face para o silo trincheira em questão. Como o custo da tonelada de MS da silagem de milho é de R$ 306,00, o prejuízo do silo vedado com lona preta foi de R$ 281,52. Descontando a economia de R$ 57,60 na compra da lona preta, o prejuízo real da utilização da lona preta em relação à lona dupla face foi de R$ 223,92.

Deste modo, é importante ressaltar que mesmo economizando R$ 57,60 na compra de uma lona preta (mais barata), na abertura do silo, a fermentação é prejudicada pela inferioridade desta, o que causa maiores perdas e, consequentemente, eleva o custo do volumoso, gerando prejuízo ao invés de economia. Apesar de R$ 223,92 ser aparentemente quantia pequena, deve-se considerar que o silo em questão apresenta por volta de 280 t MV de capacidade de armazenamento, o que equivale ao uso desse silo para um rebanho de 70 vacas em lactação alimentadas por um período de 150 dias.

Referências;

BERNARDES, Thiago Fernandes ; NUSSIO, L. G. ; AMARAL, R. C. ; SCHOGOR, A.L.B. . Sealing strategies to control the top losses of corn silage. In: XVth International Silage Science Conference, 2009, Madison. Proceedings…XVth International Silage Science Conference, 2009. p. 213-214.

Assine nossa newsletter!

Enviar