Procure essas características em membros de equipes bem-sucedidas – Por Harvey Mackay

Era um inverno frio. Os ouriços, percebendo a situação, decidiram se unir para se manterem quentes. No entanto, os espinhos de cada ouriço perfuravam seus vizinhos. Assim,  eles decidiram se afastar. Mas começaram a congelar e morrer sozinhos. Então eles tomaram a decisão de se abraçar novamente e viver com as pequenas perfurações causadas pela conexão íntima com seus companheiros para receber o calor que vinha do grupo. Isso permitiu que eles sobrevivessem.

E isso, meus amigos, é a definição perfeita de trabalho em equipe.

Nenhuma equipe é totalmente composta por pessoas perfeitas. Se você é um superstar ou um jogador reserva, você é um membro importante da equipe.

Os indivíduos que trabalham juntos como um grupo fazem um time bem sucedido. O sucesso de qualquer equipe – seja em esportes ou em negócios – é dependente de cada pessoa que trabalha em direção a um objetivo comum. O papel de cada membro da equipe, por mais insignificante que seja, é valioso para o sucesso geral da equipe. O sucesso não vem do que você faz ocasionalmente; vem do que você faz consistentemente.

Andrew Carnegie, magnata de negócios e filantropo que liderou a expansão da indústria siderúrgica americana no final do século XIX e muitas vezes identificado como uma das pessoas mais ricas, disse: “O trabalho em equipe é a capacidade de trabalhar em conjunto para uma visão comum, a capacidade de direcionar realizações individuais em direção a objetivos organizacionais. É o combustível que permite que as pessoas comuns obtenham resultados incomuns.”

Você acha que ele sabia sobre ouriços?

Helen Keller disse: “Sozinho, podemos fazer tão pouco, juntos podemos fazer tanto”. Isso é uma conversa de ouriço!

Sempre desconfio quando alguém se refere a outra pessoa como homem ou mulher que fez tudo sozinho. Deixe-me falar uma coisa, não existe isso. Ninguém atinge seus objetivos sem a ajuda de muitos outros.

Como Steve Jobs, o fundador da Apple, disse: “As grandes coisas nos negócios nunca são feitas por uma pessoa. São feitas por uma equipe de pessoas”.

Michael Jordan disse: “There is no “i” in team but there is in win”, querendo dizer que não há a letra “i” (que, em inglês, significa “eu”) na palavra “team” (equipe), mas há essa letra na palavra “win” (vitória).

Se você está formando uma equipe de trabalho totalmente autodirigida ou liderando um grupo que precisa apenas colaborar, você deve recrutar as pessoas certas. Mantenha seus olhos abertos para essas habilidades e traços:

Disposição para contribuir. A pessoa está pronta para colocar os objetivos da equipe primeiro? Isso não significa ignorar necessidades pessoais, mas isso significa que os membros da equipe devem colocar sua energia primária em contribuir com a equipe para que eles possam compartilhar seu sucesso.

Aceitação de papéis. As pessoas em uma equipe têm trabalhos específicos, tarefas e papéis. Embora elas estejam dispostas a serem flexíveis, não serão eficazes ou úteis se insistirem em sair dos limites de que a sua equipe precisa.

Vontade de ajudar. Em uma equipe, ninguém pode recuar e dizer: “esse não é o meu trabalho”. Procure pessoas com um histórico de ter iniciativa para ajudar onde quer que sejam necessárias, conforme as situações exijam.

Identificação com o grupo. Os membros efetivos da equipe se orgulham de sua associação com o grupo. Descubra quais outras equipes, forças-tarefa e comissões em que um potencial membro da equipe trabalhou. Como ele ou ela descreve a experiência?

Atitude responsável. Todos adoram compartilhar o crédito. Seu time é composto por pessoas dispostas a aceitar a responsabilidade pelo fracasso? Procure por pessoas que possam ser honestas sobre seus erros e dispostas a aprender com a experiência.

Talvez o melhor exemplo de trabalho em equipe que já ouvi falar seja aquele que compartilho com o meu público sempre que dou uma palestra. Trata-se de mulas, não de ouriços, mas a mensagem é muito eficaz.

Um vendedor está dirigindo em uma estrada rural de duas pistas em uma tempestade e fica preso em uma vala. Ele pede ajuda a um fazendeiro. O fazendeiro enrola Elmo, sua mula cega, ao carro do vendedor e grita: “Puxe Sam, puxe!” Nada acontece. Ele então grita: “Puxe Bessie, puxe”. Nada ainda. “Puxe Jackson, puxe”. Nada ainda. Finalmente ele grita: “Puxe Elmo, puxe”. E Elmo tira o carro da vala.

O motorista fica confuso e diz: “Não entendo. Por que você precisou chamar todos esses nomes diferentes?”

“Veja, se ele não pensasse que tinha alguma ajuda, nem tentaria”.

Moral de Mackay: Para uma equipe vencedora, recrute ouriços e não porcos que querem atenção.

Por Harvey Mackay, fundador e presidente da MackayMitchell Envelope Company e autor de diversos livros best sellers, entre eles, Swim With The Sharks Without Being Eaten Alive e Beware the Naked Man Who Offers You His Shirt.


ou utilize o Facebook para comentar