Primeiros resultados das trimestrais da pecuária: abate de bovinos sobe no 1º tri de 2018

O abate de bovinos teve aumento de 1,4%, o de suínos teve alta de 0,5% e o de frangos redução de 2,0% no 1º trimestre de 2018 frente ao 1º trimestre de 2017. Na comparação entre o 1º tri de 2018 e o 4° trimestre de 2017, o abate de bovinos caiu 6,9%, e o de suínos 4,7%, enquanto que o de frangos cresceu 2,6%, chegando a 1,47 milhões de cabeças.

A produção de peças de couro cresceu 1,4% frente ao 1º tri de 2017 e recuou 3,3% em relação ao trimestre imediatamente anterior. Já a produção de ovos subiu 5,2% comparada a 1º tri de 2017, totalizando 831,31 milhões de dúzias, e recuou 2,6% em relação ao trimestre anterior. Tal volume é recorde para um 1º trimestre desde 1987. A publicação com os primeiros resultados das pesquisas trimestrais da pecuária pode ser acessada ao lado.

A partir de hoje, o IBGE passa a divulgar os primeiros resultados das pesquisas trimestrais da pecuária, possibilitando acesso mais rápido às informações da conjuntura agropecuária. Esses resultados são preliminares e somente para Brasil, sem desagregações por unidades da federação. Os primeiros resultados estarão disponíveis cerca de um mês antes da divulgação definitiva, e podem sofrer alterações nas divulgações seguintes.

No 1º trimestre de 2018, foram abatidas 7,50 milhões de cabeças de bovinos sob algum tipo de serviço de inspeção sanitária. Essa quantidade foi 6,9% menor que a registrada no trimestre imediatamente anterior e 1,4% maior que a do 1º trimestre de 2017.

A produção de 1,83 milhões de toneladas de carcaças bovinas no 1º trimestre de 2018 recuou 10,0% em relação ao 4º trimestre de 2017 e subiu 1,8% em relação ao 1º trimestre de 2017.

Aquisição de couro

Os curtumes investigados pela Pesquisa Trimestral do Couro – aqueles que efetuam curtimento de pelo menos 5 mil unidades inteiras de couro cru bovino por ano – declararam ter recebido 8,46 milhões de peças inteiras de couro cru de bovinos no 1º trimestre de 2018. Essa quantidade foi 3,3% menor que a registrada no trimestre imediatamente anterior e 1,4% maior que a registrada no 1º trimestre de 2017.

Fonte: IBGE, resumida e adaptada pela Equipe BeefPoint.

Deixe seu comentário

Todos os campos são obrigatórios


ou utilize o Facebook para comentar