Pesquisa inédita: cidade tem orgulho do agro

O brasileiro que vive nas principais capitais do País conhece e se orgulha do trabalho realizado pela imensa cadeia que atua nas empresas rurais, muitas vezes bem longe dos grandes centros. Essas são algumas das primeiras conclusões obtidas pela pesquisa PESQUISA PLANT PROJECT-JH/B2F- BRIDGE RESEARCH – A PERCEPÇÃO DO CAMPO NA CIDADE, divulgadas nesta quarta-feira, 8 de novembro, durante o painel “Agronegócio, a Marca do Brasil”, que encerrou a programação do Auditório Futuro Fértil na HSM Expo 2017 (confira, em vídeo, como foi o painel).

De acordo com o estudo – que buscou identificar de que forma o meio urbano entende, avalia e se sente conectado ao Agronegócio – a resposta “orgulho” foi apontada por 96% dos 1022 entrevistados quando questionados sobre qual seria o seu sentimento no caso de o Brasil assumir internacionalmente sua vocação de País do Agronegócio – apenas 4% citaram vergonha. A imensa maioria (86%) afirma já ter algum conhecimento sobre o segmento (confira esses e outros resultados da pesquisa abaixo).

O estudo — que se propõe a gerar insights para a formulação de políticas de desenvolvimento e até de comunicação para governos e empresas associadas ao setor – foi realizado em parceria pela plataforma Plant Project, especializada em conteúdo voltado para os líderes do Agronegócio — e seus parceiros JH-B2F e Bridge Resarch, nos últimos 30 dias, nas principais capitais brasileiras, de todas as regiões.

Foram entrevistadas pessoas de todas as classes sociais e níveis de escolaridade, trazendo informações surpreendentes para quem atua nos mais diversos elos das cadeias produtivas agropecuárias e agroindustriais.

“A maior parte das respostas mostra uma percepção altamente positiva do Agronegócio entre os habitantes das grandes cidades, o que abre espaço para que o setor crie estratégias mais diretas de comunicação com o consumidor, esclarecendo sobretudo pontos sensíveis como os relacionados com segurança alimentar e questões ambientais”, afirma Luiz Fernando Sá, sócio e diretor editorial da PLANT PROJECT.

Os resultado completo da pesquisa será divulgado na edição 07 da revista PLANT PROJECT, que circulará no início de dezembro, nas versões impressa e digital.

A divulgação dos primeiros resultados do estudo dentro do maior evento sobre gestão e educação executiva da América Latina reforça o espírito do trabalho, que visa a compreender a melhor maneira de fazer as conexões entre consumidores urbanos e o universo empresarial rural. Em 2017 a HSM Expo preparou, pela primeira vez, um espaço dedicado exclusivamente a promover debates sobre o agronegócio, segmento que responde por cerca de um quarto do PIB brasileiro.

O Auditório Futuro Fértil foi resultado de uma parceria da HSM com as plataformas Plant Project e StartAgro, especializadas em comunicação para o setor e sobre inovação e tecnologia voltadas para a agropecuária. O projeto tem patrocínio diamante da Caixa e patrocínio ouro da SAP.

PESQUISA PLANT PROJECT-JH/B2F-BRIDGE RESEARCH – A PERCEPÇÃO DO CAMPO NA CIDADE

Resultados preliminares:

A Vocação do Brasil – a pesquisa quis saber qual seria, na opinião dos entrevistados, a vocação natural do País, enquanto atividade produtiva e econômica. 88% responderam (outros 12% não responderam ou não souberam responder). As respostas obtidas são espontâneas. Delas, 61% elencavam aspectos negativos, sobretudo relativos à atual conjuntura e ao momento econômico e político do país (corrupção, má gestão, recessão econômica). Outros 31% ressaltaram aspectos positivos. Destaque para a vocação para agricultura, o empreendedorismo comercial, o turismo e a abundância de território (que favorece naturalmente o agronegócio), além de produtividade e exportação.

Alto nível de reconhecimento – 86% dos entrevistados apontaram já terem algum conhecimento sobre o que é Agronegócio. Esse índice chega a 94% entre os entrevistados com maior nível de escolaridade. Mesmo entre os com ensino médio incompleto, porém, o índice de conhecimento é bastante alto (70%).

O entendimento do Agro – Quando estimulados a descrever o que entendem como sendo agronegócio, 63% descreveram atividades relacionadas a produção e produtividade (Agropecuária de Modo Geral). Outros 14% relacionaram também atividades de mercado, incluindo comércio e produção de produtos agropecuários. 5% falaram na obtenção de lucro com atividades no campo. E 3% citaram tecnologia para lavouras e criação de animais.

A Importância do Agronegócio – 95% consideram o agronegócio importante ou extremamente importante para o Brasil. 91% entende que o Agronegócio brasileiro é importante ou extremamente importante para a produção de alimentos para o mundo.
Senso de Cadeia – a pesquisa procurou identificar se os consumidores urbanos tinham consciência de que bens industrializados como calçados, etanol, roupas e pneus têm origem agropecuária. 64% indicaram concordar com essa afirmação, indicando ter noção de que eles são resultado de uma cadeia produtiva que começa com a produção no campo.

O País do Agronegócio – Depois de buscar saber até que ponto os entrevistados entendiam o setor, a pesquisa procurou saber de que forma eles entendiam que o Brasil poderia ser apontado como o País do Agronegócio. Diante da pergunta “Assim como a França é o país dos vinhos e dos perfumes, a Noruega o país da pesca do bacalhau, a ìndia é o país da tecnologia da informação e serviços, os Estados Unidos, o país do cinema e diversos outros ramos, você concorda que o Brasil é o País do Agronegócio?”, 89% dos entrevistados disseram concordar. A Região Norte foi a com maior índice de respostas afirmativas: 95%.

As razões para concordar – Questionados sobre o por quê de concordarem com a afirmação de que o Brasil é o País do Agronegócio, os entrevistados puderam responder de forma espontânea. Nas respostas, houve 81% de menções positivas (capacidade produtiva, território propenso, riquezas naturais, força econômica do agro) e apenas 5% de menções negativas (relacionadas à crise política/econômica).

Sucesso Internacional – 87% dos entrevistados consideram a vocação para o Agronegócio relevante ou extremamente importante para o reconhecimento global do Brasil. Outro índice bastante alto é o dos entrevistados que acreditam que, assumindo essa vocação, o Brasil seria bem-sucedido internacionalmente: 87%, sendo que 38% dizem que com certeza teria sucesso.

Orgulho Agro – A pesquisa questionou qual seria o sentimento dos habitantes das grandes cidades no caso de o Brasil assumir internacionalmente sua vocação de País do Agronegócio. 96% dos entrevistados afirmaram que sentiriam orgulho. 4% citaram vergonha. Entre os que responderam que ficariam orgulhosos, 17% justificaram a posição pelo reconhecimento internacional; 8% pela geração de empregos; 7% porque criaria uma economia forte e competitiva no cenário internacional e 5% em função de o setor ser extremamente benéfico ao crescimento nacional.

A percepção da cidade – Um dos destaques da pesquisa foram as respostas sobre a concordância ou não dos entrevistados sobre frases relacionadas ao Agronegócio, positivas ou negativas, propostas pelo estudo. As somas dos índices dos que responderam concordam ou concordam totalmente refletem, normalmente, uma percepção bastante favorável ao setor. Alguns exemplos mais importantes:
O Agronegócio é o principal/maior setor da economia brasileira – 72%
Atividade de produção rural no Brasil gera milhões de empregos – 63%

  • Carreiras e profissões ligadas à produção agricultura e à pecuária serão cada vez mais importantes para o país – 75%
  • Eu me sinto parte do Agronegócio brasileiro, mesmo tendo uma profissão mais urbana – 52%
  • Eu contribuo para o Agronegócio brasileiro quando trabalho em indústrias como as de Software, Tecnologia ou Siderurgia – 40%
  • Quando compro um produto, eu associo que é oriundo/proveniente da produção agropecuária – 55%

Moderno ou arcaico – nesse mesmo trecho da pesquisa, os entrevistados responderam concordar com uma visão moderna do Agronegócio e discordar da afirmação de que o produtor rural vive afastado da tecologia e dos confortos disponíveis nas cidades.

  • A atividade de produção rural no Brasil é moderna e Inovadora – 64%
  • O Brasil utiliza tecnologia de ponta para aprimorar seus processos de produção rural – 62%
  • Ser um produtor rural hoje é estar longe da modernidade, do conforto e das tecnologias que temos acesso nas grandes cidades e centros urbanos – 26%
  • O produtor rural brasileiro é uma pessoa atualizada, moderna, e faz uso das mais avançadas tecnologias produtivas – 67%

A relação com o ambiente – apesar das menções positivas em vários aspectos da pesquisa, os entrevistados apontaram que a questão ambiental é um ponto sensível na imagem do campo na cidade. Os menores índices de concordância estão relacionados a afirmações nesse quesito:

  • O agronegócio brasileiro causa impactos ambientais indesejáveis – 42%
  • É necessário o uso de agrotóxicos/defensivos para se obter uma produção em larga escala na agricultura – 35%
  • É possível praticar uma agricultura em larga escala e produzir alimentos em abundância sem a utilização de agrotóxicos/defensivos – 63%

Agro e eleição – O estudo perguntou aos entrevistados se eles estariam dispostos a votar em um candidato à Presidência da República que tivesse como proposta estabelecer o Brasil como o país do Agronegócio? 73% responderam que provavelmente ou com certeza votariam nesse candidato.

Fonte: http://plantproject.com.br.

Deixe seu comentário

Todos os campos são obrigatórios


ou utilize o Facebook para comentar