Palavra do cliente CFM: Daniel Barros Marinho, Grupo EMA – Pantanal

Uma recente pesquisa realizada pela Embrapa Corumbá (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária), em parceria com a Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), revelou que os pecuaristas pantaneiros economizariam cerca de US$ 10 milhões se investissem em reprodutores de genética superior.

As condições produtivas extremas dessa região têm levado muitos projetos pecuários a investir, com sucesso, na aquisição de reprodutores geneticamente avaliados e certificados. Entre eles está o Grupo EMA – Pantanal, sediado em Corumbá/MS, cliente da Agro-Pecuária CFM desde 1998, que em poucos anos conseguiu aumentar os índices produtivos do rebanho.

De acordo com o coordenador de pecuária do grupo, Daniel Barros Marinho, os bezerros filhos de touros CFM são duas arrobas mais pesados, em comparação com a produção dos outros touros da propriedade. Ele também destaca a evolução de outras características importantes, como o ganho de peso na desmama, ao sobreano e a precocidade sexual das novilhas. “A bezerrada inicia a recria em regime de pasto aos 6 meses de idade com 190 quilos, cerca de 40 quilos de diferença se comparado com a média na região. O ganho de peso ao sobreano também impressiona. Durante a pesagem alcançamos a excelente média de 250 quilos por cabeça”, explica o coordenador de pecuária.

O Grupo EMA é um dos projetos pecuários que aproveitam as vantagens oferecidas pela Agro-Pecuária CFM para obter reprodutores com avaliação genética positiva e Certificado Especial de Identificação e Produção (CEIP). Grande parte do investimento em genética superior é realizado durante o Megaleilão. O grupo também aproveita as vantagens da Megaloja – venda direta na Fazenda São Francisco, em Magda (SP) – para completar suas compras e aproveitar ao máximo as condições. “O investimento em genética é essencial na redução do ciclo de produção e na rentabilidade dos produtores”, finaliza Marinho.

Fonte: Assessoria de imprensa da Agro-Pecuária CFM


ou utilize o Facebook para comentar