Ipea prevê alta de 1% do PIB no primeiro trimestre

O Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro deverá manter sua trajetória de recuperação neste primeiro trimestre, com crescimento de 1% na comparação aos três últimos meses do ano passado, pela série dessazonalizada. A previsão é do Grupo de Conjuntura do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).

Se confirmada a projeção, o PIB terá seu quinto trimestre consecutivo de avanço, pela série com ajuste sazonal. Será também a maior taxa de crescimento desde o primeiro trimestre do ano passado, quando teve alta de 1,3% frente aos três últimos meses do ano anterior.

Segundo as projeções do Ipea, o crescimento será novamente liderado pelo consumo das famílias, que deverá avançar 1% frente ao quatro trimestre do ano passado. Os investimentos também devem seguir em recuperação, ainda que em ritmo tímido, de 0,1% frente aos três últimos meses do ano passado, de acordo com o instituto.

Quando comparado ao mesmo período do ano passado, o PIB brasileiro deverá mostrar uma taxa maior de crescimento, de 1,9%, pela projeção do Ipea. Também por essa base de comparação, o consumo das famílias tenderá a ser destaque, com robusto aumento de 3,4%. Para os investimentos, a expansão prevista é de 4,3%, na comparação anual.

Ano

O Grupo de Conjuntura manteve seu cenário de crescimento de 3% do PIB em 2018. De acordo com o instituto, a expansão da atividade econômica, pela ótica da demanda, será liderada por uma alta de 3,4% do consumo das famílias e de 4,5% dos investimentos (formação bruta de capital fixo). O consumo do governo, por sua vez, deverá permanecer estável frente ao registrado no ano passado.

Pela ótica da oferta, o crescimento da economia será puxado em 2018 pelos setores de serviços (+2,9%) e da indústria (+3,6%). Depois da safra recorde de grãos do ano passado, responsável pela maior parte da expansão do PIB de 2017, a agropecuária deverá registrar retração de 2,2% em 2018, conforme projeção do Ipea.

No ano que vem, o crescimento econômico será disseminado entre as atividades, de acordo com o Ipea. E os investimentos terão protagonismo ainda maior. O instituto prevê crescimento de 6% da formação bruta de capital fixo em 2019, na comparação com este ano, o maior avanço percentual entre os componentes da demanda.
O cenário inclui também a aprovação da reforma da Previdência. O instituto prevê crescimento de 3% do PIB, puxado por um avanço de 2,8% do consumo das famílias. Os investimentos devem crescer 6%.

Segundo Castro Júnior, essas projeções podem se revelar otimistas ou pessimistas conforme o resultado da aprovação da reforma. “É difícil medir hoje qual será a extensão da reforma da Previdência. Por isso, consideramos nosso cenário até conservador para a hipótese de aprovação da reforma. Se ela não for aprovada, porém, nosso cenário torna-se muito otimista”, disse.

Fonte: Valor Econômico, resumida e adaptada pela Equipe BeefPoint.

Deixe seu comentário

Todos os campos são obrigatórios


ou utilize o Facebook para comentar