Fim do imposto sindical obrigatório é desafio para CNA

O presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), João Martins, reconheceu, em evento em Brasília que contou com a presença do presidente Michel Temer, que a entidade se “comunicava mal” com os produtores rurais do país e que, portanto, terá um grande desafio para se reconectar com sua rede de federações e sindicatos rurais diante do fim do imposto sindical obrigatório.

O fim da obrigatoriedade do imposto sindical passará a valer no Brasil a partir de janeiro. A medida faz parte das mudanças previstas com a reforma trabalhista, aprovada este ano pelo Congresso.

“Essa é uma grande oportunidade para identificarmos as falhas de comunicação que a gente tinha com as federações. Nosso sistema estava se comunicando mal com o produtor”, disse Martins. “As federações têm que ter a responsabilidade de reconstruir o sistema sindical do setor”.

Martins enfatizou que a CNA precisa informar em “tempo real” os produtores sobre suas ações de defesa do setor agropecuário junto aos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário. Há alguns meses a entidade vem preparando um estudo para levantar casos de “sindicatos de sucesso”, considerados referência pelos produtores. Segundo uma fonte que esteve no evento de hoje, um desses sindicatos é o de Rio Verde (GO).

Fonte: Valor Econômico, resumida e adaptada pela Equipe BeefPoint.


ou utilize o Facebook para comentar