FAO e OCDE preveem condições favoráveis para os produtores de carne

A indústria mundial da carne deve ver um crescimento de dois dígitos na produção na próxima década, apoiada por baixos preços de alimentos animais e maior demanda por carne de aves de preço acessível, de acordo com uma nova previsão.

A previsão é de que que os preços dos grãos usados na alimentação animal permaneçam baixos até 2026 em meio ao clima estável projetado, em contraste com um período de custos particularmente elevados e voláteis na última década, disse a Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), com sede em Paris e a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO).

Países em desenvolvimento

Os produtores de carne devem ver níveis de produção que são 13% maiores em 2026, com relação à base de 2014-16. A produção global aumentou quase 20% na última década. Os países em desenvolvimento impulsionarão a demanda no futuro, à medida que expandem seu uso de alimentos animais no processo de produção, disseram as organizações.

Os menores custos de produção e os preços dos produtos tornaram a carne de aves preferida nos países em desenvolvimento, aumentando a demanda por esta proteína animal em relação às carnes vermelhas, observou o relatório.

Carne bovina

No setor da carne bovina, os rebanhos estão sendo reconstruídos em várias grandes regiões produtoras, mas o declínio nos abates devem ser compensados por maiores pesos de carcaça.

Espera-se que a parte comercializada da produção global  de carne permaneça bastante constante em cerca de 10% durante o período, com a maior parte do aumento proveniente de aves, segundo o relatório.

A parte dos maiores países exportadores de carne do mundo – os Estados Unidos e o Brasil – deve aumentar para cerca de 44%, contribuindo para quase 70% do aumento esperado das exportações mundiais de carne até 2026.

A  OCDE/FAO antecipam que os preços globais das commodities alimentares permanecerão baixos na próxima década, com a demanda per capita de alimentos básicos se mantendo baixa, enquanto o crescimento diminui em várias economias emergentes.

Fonte: MeatingPlace.com, traduzida e adaptada pela Equipe BeefPoint.

Deixe seu comentário

Todos os campos são obrigatórios


ou utilize o Facebook para comentar