Câmara Árabe incentiva exportações do Maranhão para países do Oriente Médio e Norte da África

A Câmara de Comércio Árabe Brasileira promoveu uma reunião com empresários e pecuaristas nesta quinta-feira (09) em São Luís, no Maranhão, para incentivar a exportação regional de gado vivo e carne congelada para os países árabes. O estado é o segundo maior produtor de gado do Nordeste, com cerca de 7 milhões de cabeças, perdendo apenas para a Bahia.

Na reunião foi apresentada a proposta de criação de uma exportadora de gado vivo maranhense, pois a operação hoje é feita por estados vizinhos.

O assessor da presidência da Câmara Árabe para assuntos estratégicos, Tamer Mansour, participou da reunião e palestrou sobre as oportunidades de negócios entre o Brasil e os países árabes. “O oriente médio é um dos maiores importadores de gado vivo e carne do Brasil, e este é um mercado em crescimento”, explicou.

O encontro aconteceu na sede da Empresa Maranhense de Administração Portuária (Emap) que administra o Porto do Itaqui, em São Luís. O presidente do porto, Ted Lago, esteve no evento e disse que pretende transformar o local em um polo de exportação da região para o Oriente Médio.

Estados próximos como Mato Grosso, Goiás, Tocantins e Pará também se beneficiariam da iniciativa do Porto do Itaqui, que tem localização privilegiada e é o terminal brasileiro mais próximo de um país árabe – a Mauritânia, que fica no Norte da África. Além disso, o terminal possui câmara fria e terminal de contêineres, o que facilitaria o transporte de carnes e frutas.

Mansour aproveitou o evento para convidar os empresários e autoridades a participar do próximo Fórum Econômico Brasil-Países Árabes, promovido pela Câmara Árabe, que acontecerá em São Paulo no início de 2018.

Fonte: Comex do Brasil, resumida e adaptada pela Equipe BeefPoint.

Deixe seu comentário

Todos os campos são obrigatórios


ou utilize o Facebook para comentar