Millennials apresentam novos desafios e enormes oportunidades para a indústria de carnes

Uma nova pesquisa feita pelo Midan Marketing explora como o consumo de carne pelos Millennials (ou Geração Y, que engloba pessoas nascidas em meados da década de 70 até meados da década de 90) difere do consumo dos chamados Baby Boomers (nascidos de 1945 a 1964).

Uma das maiores gerações da história dos Estados Unidos está entrando rapidamente em seus primeiros anos de gastos e forçando as companhias a reavaliar a forma como fazem negócios. Atualmente, o tamanho do mercado dos Millennials nos Estados Unidos é de 75,4 milhões, de acordo com o artigo do Pew Research Center chamado “Millennials ultrapassam os Baby Boomers como a maior geração da América”.

Os Millennials são uma geração complexa; eles estão sendo muito elogiados por sua proposta transformadora na vida, seu interesse mais forte em saúde e bem-estar, sua alta consciência social e seu interesse em proteger o meio-ambiente. Entretanto, os Millennials também são frequentemente criticados por sua intolerância às normas e instituições, seu foco autocentrado e sua tendência em escolher uma vida com significado ao invés de buscar carreiras mais tradicionais, ter casa própria ou ter dinheiro.

No entanto, não há dúvidas de que os Millennials estão criando seu próprio caminho e desafiando todos os negócios e instituições, incluindo a indústria de carnes.

Para entender o consumo de carne dos Millennials, bem como suas atitudes e percepções sobre a carne, o Midan Marketing conduziu um estudo online com 425 Millennials e 400 Boomers (como ponto de comparação) em maio de 2016. A esmagadora maioria dos Millennials e dos Boomers tinham consumido algum tipo de carne no último mês – 95% e 96%, respectivamente. Ambos os grupos responderam questões similares sobre seu consumo de carnes, preferências e atitudes com relação à carne e à saúde.

Como um grupo, o estudo do Midan descobriu que os Millennials consomem carne fresca (todos os tipos incluídos) a níveis similares das gerações anteriores. Entretanto, à medida que os Millennials entram em seus primeiros anos de gastos, casam-se e começam famílias, seu consumo deverá aumentar.

Para entender melhor a relação com a carne, o Midan Marketing comparou os Millennials com os Boomers em algumas importantes áreas. A seguir, veja a lista das áreas mais relevantes para a indústria de carnes e como as duas gerações se comparam:

1) Preparo de refeições em casa: os Millennials são mais engajados do que os Boomers

Os Millennials tem uma sensação de realização quando preparam um prato complicado (76% vs. 58% dos Boomers) e apreciam experimentar receitas novas de carne (62% vs. 49% dos Boomers). Eles também estão mais dispostos a pagar mais por ingredientes de alta qualidade do que os Boomers (55% vs. 37%).

2) Mudanças no consumo de carnes: o consumo de carnes dos Millennials não é estável

Os Boomers exibem um consumo de carnes mais estável do que os Millennials. Setenta e nove por cento dos Boomers estão consumindo cerca da mesma quantidade de carnes vermelhas e brancas que no ano passado, comparado com 67% dos Millennials. Entre essa mudança de consumo, alguns Millennials aumentaram o consumo de carnes nos últimos 12 meses (11%), mas outros reduziram (22%). Os Boomers têm mais chances de reduzir o consumo (16%) do que aumentar (5%).

3) Razões para a redução no consumo de carnes: preocupações com a saúde são a principal razão dos dois grupos

As três principais razões para a redução no consumo de carnes estão relacionadas com saúde (36%), maior custo da carne (38%) e sua situação econômica (31%). Em contraste, as principais razões dos Millennials foram preocupações com a saúde (30%), bem-estar animal (23%), preocupações ambientais (23%) e influências sociais (22%).

4) Gastos mensais com carnes: os Millennials estão gastando significativamente mais do que os Boomers

Em um mês médio, os Millennials gastaram significativamente mais com carnes do que os Boomers (US$ 162 vs. US$ 93). Isso pode ser explicado por duas diferenças importantes entre os dois grupos: um, os Millennials têm famílias maiores (e famílias em crescimento) e, dois, eles compram proporcionalmente mais refeições preparadas do que os Boomers.

5) Consumo de carnes frescas vs. preparadas: os Millennials compram significativamente mais carne preparada do que os Boomers

Os Boomers compram significativamente mais carne fresca/não preparadas (78%) do que os Millennials (56%). Ambos os grupos preferem carne fresca à congelada. As refeições preparadas são responsáveis por cerca de 44% das compras de carnes pelos Millennials; em comparação, somente 22% das compras de carnes pelos Boomers são de refeições preparadas.

6) Atitudes em relação à carne: ambos os grupos têm atitudes positivas em relação à carne, com poucas diferenças importantes

Os Boomers têm uma preferência mais forte por carne produzida e embalada nos Estados Unidos do que os Millennials (70% vs. 61%). Eles também têm mais chances de dizer que não podem imaginar abrir mão do sabor da carne (62% dos Boomers vs. 55% dos Millennials pesquisados). Por outro lado, os Millennials têm opiniões mais fortes sobre a carne em outras áreas.

millennials

Fonte: http://www.theshelbyreport.com, traduzida e adaptada pela Equipe BeefPoint.

Uma opinião sobre “Millennials apresentam novos desafios e enormes oportunidades para a indústria de carnes”

Os comentários estão encerrados.


ou utilize o Facebook para comentar