Mato Grosso registra 23 focos de raiva no primeiro semestre

Em Mato Grosso foram registrados no primeiro semestre deste ano 23 focos de raiva. A Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Mato Grosso (Famato) em parceria com o Instituto de Defesa agropecuária do Estado de Mato Grosso (Indea-MT) levanta com preocupação o debate sobre a doença e a importância da vacinação. A raiva é transmitida pelo morcego hematófago Desmodus rotundus. Bovinos, bubalinos, equídeos, caprinos e ovinos devem ser imunizados.

Apesar de não ser uma vacina obrigatória como a da aftosa, é necessária para o rebanho. Os animais vacinados pela primeira vez devem ser revacinados 30 dias após a primeira dose. Depois o rebanho deve ser vacinado anualmente.

De acordo com o médico veterinário e analista de pecuária da Famato, Marcos de Carvalho, o custo de uma dose da vacina é de aproximadamente R$ 0,70. “Considerando um rebanho de 100 animais que nunca foi vacinado, o custo da primeira dose é de R$ 70,00, e somando com a segunda dose após os 30 dias, totalizaria R$ 140,00 por ano. Se apenas um animal jovem, avaliado em R$ 1.500,00 morre com a doença, o prejuízo daria para vacinar o rebanho inteiro duas vezes por ano, durante 10 anos”, contabilizou Carvalho.

Outra dica importante do médico veterinário é para que os produtores aproveitem o período de campanha contra febre aftosa e vacinem o rebanho contra a raiva e já façam a declaração no Indea-MT no mesmo período.

Fonte: Ascom Famato, resumida e adaptada pela Equipe BeefPoint.


ou utilize o Facebook para comentar