Lacre eletrônico em contêineres vai agilizar as exportações de carne

O projeto Canal Azul encerrou sua fase de testes com resultados positivos e entra agora no período operacional, aberto a qualquer frigorífico e passa a funcionar em qualquer porto do Brasil. O projeto Canal Azul consiste na implantação de um lacre eletrônico nos contêineres de carne, destinados à exportação. Com isso, os contêineres não precisarão de liberação ao chegar ao porto, pois a validação será realizada previamente por um fiscal federal agropecuário no fluxo de saída do frigorífico.

A tecnologia possibilita uma drástica redução do tempo gasto com trâmites burocráticos na liberação de cargas nos portos do País. Seis plantas fabris de bovinos e aves participaram do projeto, que envolveu os portos de Santos (SP) e de Navegantes (SC). A redução média no tempo gasto para liberar as cargas variou entre 57 (Santos) e 109 horas (Navegantes). Além disso, foi verificado também que o processo permite para os frigoríficos uma economia com aluguel de contentores, energia elétrica, armazenamento e monitoramento, bem como a redução das intervenções no processo e o aumento da visibilidade operacional.

A startup Pirus Tecnologia é quem vai comercializar o lacre eletrônico para os frigoríficos. A adesão ao Canal Azul é totalmente voluntária. Além disso, já está em desenvolvimento um projeto denominado Fronteira Azul, uma evolução do Canal Azul, destinado para acordos bilaterais.

Fonte: Successful Farming Brasil, resumida e adaptada pela Equipe BeefPoint.

Uma opinião sobre “Lacre eletrônico em contêineres vai agilizar as exportações de carne”

  • Leandro - 11/09/2016

    Neste momento de grande demanda dos mercados internacionais ,sabemos que o Brasil está necessitando de grandes inovações e investimentos no transporte marítimo e esse lacre já está sendo bem visto no mercado e as empresas estão acreditando . Pois o Brasil exporta muito porque as riquezas naturais são inúmeras…

Os comentários estão encerrados.


ou utilize o Facebook para comentar