Justiça determina afastamento de Wesley e Joesley Batista de mercados e direção de empresas

A Justiça Federal de Brasília determinou o afastamento imediato dos irmãos e empresários Wesley e Joesley Batista, controladores de várias empresas incluindo a processadora de carnes JBS, de função de direção de qualquer empresa ou grupo empresarial.

A medida cautelar, que envolve outras 38 pessoas, se refere a operação Greenfield, da Polícia Federal e o Ministério Público Federal, que apura um esquema de corrupção envolvendo os principais fundos de pensão de empresas estatais do país. Os passaportes dos empresários também foram retidos para evitar que eles deixem o país sem autorização judicial.

“Essas medidas alternativas à prisão me parecem, que por ora são suficientes para minimizar ou fazer cessar as atividades ilícitas e salvaguardar a ordem pública e econômica”, disse o juiz federal Vallisney de Souza Oliveira, da 10ª Vara, em sua decisão.

O empresário Joesley Batista, desembarca no Brasil no domingo e será ouvido pela Polícia Federal na segunda-feira. Os advogados dele informaram aos policiais que Joesley está nos Estados Unidos. A Justiça concedeu contra ele mandado de condução coercitiva. Também houve buscas em endereços dele e do irmão, Wesley Batista.

Existem suspeitas de que investimentos dos fundos de pensão Funcef (Caixa Econômica) e Petros (Petrobrás) foram feitos para beneficiar a Eldorado Celulose, empresa do grupo J&F, no valor de R$ 544 milhões. Divididos igualmente entre os dois fundos.
Na próxima semana, o ex-presidente da Funcef Carlos Alberto Caser também deve se entregar.

OUTRO LADO

“O grupo J&F, com 63 anos de história, 150 mil colaboradores e 50 mil fornecedores no Brasil, reitera que sempre esteve à disposição das autoridades e que sua relação com os fundos de pensão sempre se pautou pela ética e pfela impessoalidade.

Informamos que a participação de Petros e Funcef na Eldorado Celulose vale hoje cerca de R$ 3 bilhões, segundo laudos de duas renomadas auditorias independentes. Esse valor é cerca de seis vezes maior do que o investido por eles em 2009, que foi de R$ 550 milhões.

Lamentamos a forma pela qual a companhia foi exposta. Estamos empenhados para impedir que isso venha a causar prejuízos a nossos colaboradores, suas famílias, parceiros e investidores.
Estamos confiantes de que, juntos, trabalharemos pela continuidade do crescimento sustentável da J&F e de todas as suas empresas.”

Reestruturação da JBS preocupa investidores

Um possível atraso na reestruturação societária da JBS e a percepção de obstáculos no refinanciamento da dívida da empresa são as principais preocupações do mercado em relação à JBS, após a operação Greenfield, que investiga “gestão temerária e fraudulenta” nos fundos de pensão estatais brasileiros. Apesar de não envolver a processadora de carnes diretamente, a investigação tem como alvo a Eldorado Celulose, empresa controlada pela mesma holding, a J&F.

Após a ação da companhia cair mais de 10% no pregão de segunda-feira e 1,7% nesta terça-feira, 6, bancos rebaixaram a recomendação da JBS e alertaram sobre os possíveis riscos que a envolvem. As investigações levantam temores sobre alterações no cronograma da reestruturação societária e a consequente abertura de capital da JBS Foods International na Bolsa de Nova York (Nyse).

Relatório do Bradesco BBI, assinado pelo analista Gabriel Lima, afirma que há a possibilidade de atraso do processo de reorganização da empresa. A expectativa é de que o novo desenho fosse concluído até o quarto trimestre deste ano, com objetivo de melhorar a governança corporativa. O analista cita que a reorganização permitirá uma redução dos custos financeiros e estima que a taxa de desconto aplicada aos fluxos de caixa JBS poderia cair significativamente.

Também em relatório, o Itaú BBA afirma que o desenrolar do caso pode alterar o cronograma da mudança societária. A listagem da JBS Foods International foi o que sustentou os ganhos das ações recentemente, de acordo com o BTG Pactual. “Tememos, portanto, que este processo de listagem poderá sofrer atrasos se uma revisão geral de gerenciamento se revele necessária”, diz relatório.

Além da reestruturação, analistas citam a questão do endividamento da empresa. O Bradesco BBI afirma, em relatório, que a ação da Polícia Federal implica em uma percepção de aumento de risco do refinanciamento da dívida da companhia detida por bancos comerciais – R$ 18 bilhões de dívida de curto prazo a ser reconduzida para os próximos 12 meses.

José Batista Júnior assume a presidência da JBS

A JBS S.A. comunicou que o Conselho de Administração deliberou a eleição de José Batista Júnior como Diretor Presidente interino da Companhia e a indicação do Conselheiro, José Batista Sobrinho, fundador da JBS, para a função de Presidente do Conselho de Administração.

José Batista Júnior ocupou o cargo de Presidente da Companhia por mais de 20 anos e possui profundo conhecimento de todos os negócios do Grupo.

Tais alterações foram promovidas em virtude do recebimento pela Companhia de correspondências enviadas por Wesley Mendonça Batista e Joesley Mendonça Batista, informando que, conforme decisão proferida pelo Juízo da 10ª Vara da Justiça Federal do Distrito Federal, nos autos do processo nº 0052041-02.2016.4.01.3400, Wesley Batista está temporariamente suspenso do exercício de seus cargos de Diretor Presidente e de Vice-Presidente do Conselho de Administração da Companhia e Joesley Batista está temporariamente suspenso do exercício de seu cargo de Presidente do Conselho de Administração da Companhia. Os irmãos Batista informaram que recorrerão da referida decisão.

“Assumo a JBS com o compromisso de dar continuidade ao crescimento sustentável da Companhia. A JBS possui uma robusta estrutura global e regional de negócios, com executivos de alta qualidade e uma sólida governança”, comentou o Sr. José Batista Júnior.

A Companhia manterá seus acionistas e o mercado em geral devidamente informados de eventuais desdobramentos.

[ATUALIZAÇÃO]

Justiça libera irmãos Batista a voltar a empresas da J&F

O grupo empresarial J&F tem até o dia 21 de outubro para depositar em juízo ou oferecer garantias no valor de R$ 1,518 bilhão. O compromisso foi firmado em reunião realizada nesta terça-feira entre representantes da empresa e o Ministério Público Federal (MPF), no âmbito da Operação Greenfield, que apura suspeitas de crimes contra os principais fundos de pensão. Em decorrência do acordo, o MPF solicitou, no fim da tarde, que a 10a Vara da Justiça Federal suspenda as medidas cautelares que haviam sido impostas tanto a pessoas físicas quanto a pessoas jurídicas ligadas ao conglomerado.

O pedido do Ministério Público Federal já foi acolhido pela Justiça Federal. Com isso, os investigados Joesley Mendonça Batista e Wesley Mendonça Batista estão autorizados a voltar ao comando das empresas da holding J&F. Wesley exercia os cargos de diretor- presidente e de vice-presidente do Conselho de Administração na JBS, já Joesley era presidente do Conselho.

Segundo informou em nota o MPF, as cautelares incluem bloqueio, sequestro e indisponibilidade de bens e ativos, além do afastamento dos diretores Joesley Mendonça Batista e Wesley Mendonça Batista do exercício de funções gerenciais e administrativas. A garantia financeira é uma forma de assegurar que – caso haja condenação no fim do processo criminal – os recursos sejam usados para ajudar a recompor o rombo financeiro dos fundos de pensão.

As investigações envolvendo investimentos feitos pelas instituições começaram em 2014. Entre os várias aplicações analisadas pela Força Tarefa que cuida do caso, está o aporte de R$ 550 milhões feito – entre os anos de 2009 e 2010 – pela Funcef e Petros no FIP Florestal. Cada fundo de pensão investiu R$ 275 milhões no FIP e, de acordo com relatórios técnicos que integram a base de dados da investigação, há indícios de que os ativos do FIP Florestal tiveram os preços superestimados e que houve ilicitudes na aprovação dos investimentos.

Para fixar o valor da garantia, os investigadores consideraram o total investido e a taxa interna de retorno calculada pelos órgãos técnicos do Fundos de Pensão no processo de aprovação dos investimentos. Aos R$ 550 milhões foram aplicadas a correção do IPCA mais 10,37% ao ano. Além disso, os envolvidos se comprometeram a comparecer, sempre que necessário, à Procuradoria da República no Distrito Federal (PR/DF) e à Polícia Federal (PF), o que deve acontecer, independentemente de solicitação formal. Ainda pelo acordo, ficou estabelecido que, caso o compromisso seja cumprido até a data previamente acertada (21 de outubro), a Justiça poderá revogar em definitivo as medidas cautelares. Por outro lado, em caso de descumprimento de qualquer um dos pontos acordados, as determinações judiciais poderão ser novamente decretadas.

Fonte: O Globo, JBS, Reuters e O Estado de São Paulo, resumida e adaptada pela Equipe BeefPoint.

6 opiniões sobre “Justiça determina afastamento de Wesley e Joesley Batista de mercados e direção de empresas”

  • Santo Mota - 08/09/2016

    Pois é, ainda precisam investigar as doações para campanhas políticas.

    Somente nas eleição de 2014, a empresa doou 39,56% de todo o seu lucro líquido registrado em 2013, que foi de R$ 926,9 milhões. É como se, a cada R$ 100 de lucro, a JBS doasse R$ 39,5 para os caixas de campanhas de partidos e candidatos. São R$ 366 milhões doados.

    A JBS Foi a maior doadora para as campanhas eleitorais daquele ano, logo depois vem a Odebrecht que está na lava jato.

  • juana may - 09/09/2016

    Ufa!!!! Até que enfim !

  • Lambari - 13/09/2016

    Essa JBS sucateou vários frigoríficos no país. Em Rondonia mesmo comparam praticamente todos e fecharam alguns. Eles querem o monopólio da carne.

    • Ludo - 13/09/2016

      Praticamente conseguiram.

  • Kaio Allmeida - 13/09/2016

    Sinceramente, não entendo esse estresse todo dos que se dizem indignados. Mas pensem comigo, o desemprego está altíssimo ja, ai uma empresa dessa é fechada são apenas 30 mil desempregados. Pensem antes de comentar e de criticar até porque talvez futuramente empregue você e sua família. Bem que dizem que o sucesso incomoda bastante gente. Kkkk #opiniaominha

  • Samir Rojas Silverio - 14/09/2016

    Como dizem se nao tem a temer nao se preocupe pois se for um grupo limpo jamais ira deixa-lo desempregado.

Os comentários estão encerrados.


ou utilize o Facebook para comentar