Exportar mais exige ampliar pauta de produtos e fazer acordos, diz Maggi

Em apresentação na Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural da Câmara dos Deputados, nesta quarta-feira (14), o ministro da Agricultura, Blairo Maggi,  destacou os principais desafios do agronegócio brasileiro.

De acordo com ele, o Brasil precisa avançar nas exportações de produtos não tradicionais, fazer mais acordos comerciais com os países e blocos econômicos, cobrar reconhecimento pela qualidade e sustentabilidade de sua produção agropecuária e importar mais, como forma de intensificar o fluxo comercial agrícola global.

O ministro reforçou o papel da produção agrícola na economia. Quanto ao resultado das vendas externas, comentou que,  só não é melhor porque os preços internacionais das commodities vivem um ciclo de baixa.

Enfatizou ser preciso “identificar países grandes com os quais o país ainda não tem negócios para ingressar nesses mercados”. E destacou que o papel do governo é o de promover a abertura, mas que a negociação é tarefa de empresários.

Maggi chamou a atenção para a estimativa de que 51% da população mundial estará na Ásia em 2030. “O crescimento do continente revela que devemos olhar para lá, onde a classe média está crescendo e onde não há terras nem água disponíveis para produzir o suficiente para toda a população.”

O cenário, na avaliação do ministro, permite traçar ações para aumentar a participação do Brasil no mercado agrícola mundial de 6,9% para 10%, em cinco anos. Falou da importância, para tanto, de valer-se também da diplomacia e comentou que, ao se distanciar de grandes negociações mundiais nos últimos anos, “o Brasil estava perdendo o bonde da história”.

Fonte: Mapa, resumida e adaptada pela Equipe BeefPoint.


ou utilize o Facebook para comentar