Exportações de carne bovina australiana devem passar de 1 milhão de toneladas nesse ano novamente

As exportações de carne bovina e de vitelo da Austrália nos seis primeiros meses do ano caíram em 18%, para 528.599 toneladas. As vendas de carne resfriada caíram em uma menor extensão do que a de carnes congeladas, com o volume de carne resfriada em 144.947 toneladas, 9% a menos que no ano anterior.

O volume projetado para 2016 permanece acima de um milhão de toneladas, 20% a menos que o recorde do ano anterior, mas ainda o quarto maior volume já registrado. Para além de 2016, os envios deverão provavelmente se contrair juntamente com a queda de produção em 2017, antes de aumentar levemente e alcançar 1,17 milhão de toneladas em 2021.

Australia exportacoes

Dos principais mercados nesse ano, os Estados Unidos foi o mas lento comparado com o mesmo período do ano anterior, especialmente para carne congelada produzida a pasto. O Japão também foi desafiado pela competição com os Estados Unidos, apesar de os volumes de carne produzida com grãos ter permanecido em níveis razoáveis. Na Coreia, os envios se mantiveram extremamente bem, à medida que o terceiro corte de tarifas determinado no acordo de livre comércio entre Austrália e Coreia está ajudando na concorrência do produto australiano comparado com o produto doméstico, mais caro (carne Hanwoo).

A China continua demandando uma proporção historicamente alta de produtos australianos, com a indústria sugerindo que o verão no hemisfério norte deva continuar direcionando as importações. A concorrência na China está crescendo e os últimos dados do Global Trade Atlas sugerem que os volumes exportados do Brasil à China em maio foram de 20.286 toneladas, comparado com 8.433 toneladas da Austrália no mesmo período. O volume brasileiro agora totaliza 168.900 toneladas desde a reentrada nesse mercado em junho de 2015, comparado com 128.983 toneladas da Austrália no mesmo período.

Fonte: Meat and Livestock Australia (MLA), traduzida e adaptada pela Equipe BeefPoint.


ou utilize o Facebook para comentar