Acordo pode facilitar venda de produtos brasileiros para a China

O ministro da Agricultura, Blairo Maggi, deu um importante passo na ampliação das relações comerciais entre o Brasil e China, nessa quinta-feira, 8, propondo ao chefe de governo da província de Cantão, Ji Jiaqi, um acordo para a criação de um grupo do consulado brasileiro e técnicos dos dois países, a fim de facilitar a entrada de produtos brasileiros na China e vice-versa.

O ministro considera estratégica a região do Cantão, que tem um Produto Interno Bruto (PIB) de US$ 1,7 trilhão. No ano passado, a província movimentou US$ 1 trilhão em comércio exterior.

Ji Jiaqi disse que o Brasil é o segundo maior parceiro comercial do Cantão, atrás apenas dos Estados Unidos. Ele propôs a Maggi um aumento da cooperação na área da segurança alimentar, principalmente no que se refere a gestão de riscos. Esta parceria, de acordo com o governo cantonês, por meio de universidades e centros de pesquisa, como a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). Blairo aceitou e orientou o presidente da Embrapa, Maurício Lopes, presente no encontro, para iniciar as conversas com os chineses.

Uma das questões entre os dois governos é uma mudança nos critérios do governo chinês para a seleção de empresas brasileiras aptas a exportar.

Blairo propôs – e Jiaqi aceitou – a criação de um grupo técnico para discutir esse assunto. O chefe de governo da província chinesa disse que o Cantão tem autonomia para resolver esse tipo de problema, o que poderá facilitar ainda mais o trabalho dos exportadores brasileiros junto ao governo chinês. Blairo convidou Jiaqi para visitar o Brasil.

Após a reunião, o ministro explicou que a pressão de províncias economicamente importantes, como o Cantão, junto ao governo central, é um fator político que pode ajudar a aumentar as vendas externas de produtos agropecuários brasileiros para a China.

Fonte: Mapa, resumida e adaptada pela Equipe BeefPoint.


ou utilize o Facebook para comentar