-A +A

Sobressemeadura de pastagens de clima frio

Esta alternativa de estabelecimento de pastagens tem por objetivo a exploração de forragens no período frio do ano, onde as gramíneas de clima tropical cessam ou diminuem drasticamente o seu crescimento, com conseqüente queda de desempenho dos ruminantes. E, diferentemente do método de plantio direto de pastagens, não visa a troca da pastagem original. Trata-se, portanto, de uma “suplementação” via pastagem por um período determinado.

Este método pode utilizar ou não a dessecação das plantas originais através de herbicidas. Este tipo de uso é muito comum nas regiões do sul do país, em especial o Rio Grande do Sul, onde é praxe o uso de pastagens nativas. Contudo, o uso do defensivo químico não visa a eliminação das plantas originais e sim refrear o desenvolvimento das mesmas, a fim de possibilitar o estabelecimento das gramíneas de clima frio, denominadas plantas de clima temperado.

A sobressemeadura de gramíneas de clima temperado, sem o uso de defensivos, é melhor explorada em regiões que vão desde o Rio Grande do Sul até o sul do Mato Grosso do Sul e São Paulo, além de algumas regiões de maior altitude de Minas Gerais, ou seja, em regiões onde há limitações de crescimento das gramíneas pela ocorrência de frio em determinada época do ano.

A sobressemeadura se dá sobre diversas gramíneas tropicais, tais como: Braquiarão, Tanzânia e Mombaça. Entretanto, os melhores resultados encontrados a campo referem-se à sobressemeadura em pastagens de gramíneas do Gênero Cynodon, tais como a Grama Estrela, o Coast Cross, o Tifton e etc. (Figura 01).

O uso de gramíneas de clima temperado sobressemeadas em pastagens de Cynodon é muito utilizada para projetos de bovinocultura de leite a pasto, pois ambas as opções forrageiras são de alto valor nutricional. Além disso, existe resposta à irrigação, o que pode aumentar ainda mais a lotação destas gramíneas em conjunto durante a estação fria do ano. Projetos de pecuária leiteira, no interior de São Paulo, possibilitam lotações de inverno de até 5 UA/ha com o uso de irrigação (Figura 02).


As gramíneas mais utilizadas para a sobressemeadura são: aveia, centeio e azevém. com destaque para a Aveia Preta, que é a mais utilizada dentre as citadas.

Também é muito comum o plantio conjunto de centeio, aveia e azevém ou aveia e azevém, somente. Isto ocorre devido às características específicas destas gramíneas que apresentam-se de maneira mais agressiva em diferentes períodos da estação fria, o que possibilita uma melhor oferta de gramíneas de clima temperado ao longo deste período do ano. Veja no quadro 01 o comportamento destas gramíneas ao longo dos meses.

Quadro 01. Distribuição mensal da produção de matéria seca de centeio, aveia e azevém.


Fonte: Adaptado de Postiglioni, 1982, citado por Moraes e Lustosa. Forrageiras de inverno como alternativas na alimentação animal em períodos críticos. Anais do 7o. Simpósio sobre Nutrição de Bovinos. FEALQ, 1999.

Assim como no plantio direto de pastagens, a adequação da forragem antes da semeadura deve ser realizada com o objetivo de manter a massa com no máximo 20 cm de altura.

A sobressemeadura pode ser feita a lanço, porém com quantidades superiores de sementes e deve ser seguida de compactação, que pode ser realizada com a entrada de um grande número animais na área logo após a semeadura. Este tipo de método de semeadura se aplica melhor em propriedades pequenas, em especial fazendas de produção de leite. Os melhores resultados com a sobressemeadura ocorrem com o uso de semeadoras de sementes miúdas, onde a profundidade ideal varia de 0,6 a 2,0 cm.

Como podemos observar existem inúmeras alternativas ou métodos de plantio de pastagens, cabendo uma avaliação criteriosa sobre todos os aspectos, a fim de melhor definir qual a metodologia que trará melhor custo/benefício para o negócio que será explorado.

Assine nossa newsletter!

Enviar