-A +A

Agronegócio do boi: “comercialização de animais para abate”

A comercialização de animais para abate envolve o conceito de carcaça, que é o produto final do abate do bovino, descartada cabeça, mocotós, cauda, couro, vísceras e sangue. Portanto, pecuaristas vendem animais vivos e os frigoríficos compram carcaça. Herança da cultura britânica representada pelos primeiros frigoríficos no Brasil, a arroba (medida de peso), representa unidade de 15 kg de carcaça, sendo que boi gordo é definido como um animal com peso igual ou superior a 15 arrobas.

O bovino destinado ao abate é atordoado, sangrado, esfolado, eviscerado e desprovido das extremidades citadas (cabeça, mocotó e cauda). O produto final restante (carcaça) é constituído de massa muscular, estrutura óssea e gordura e é pesada individualmente. O conjunto de carcaças pesadas produz o Romaneio que fornece o total (somatória) de todas as peças referentes aos animais de cada produtor.

Essa pesagem final é convertida em arrobas e o preço a ser pago refere-se à cotação do dia. Normalmente o pagamento é realizado 30 dias depois, aplicando-se um índice deflacionado da ordem de 3% para pagamento a vista. Há diferenças de preços pagos entre a arroba do boi gordo e da vaca, havendo também diferenças locais para cotações de bois inteiros x castrados, rastreados ou não e com diferentes graus de terminação (gordura).

Outra forma de comercialização é a venda combinada, em que o rendimento da carcaça é previamente acordado entre as partes pecuarista x frigorífico (Tabela 1). Somente uma pequena parcela de produtores é agraciada pelos frigoríficos para executar a venda combinada. Esse privilégio explica-se pelo volume, qualidade, disponibilidade dos bovinos produzidos e localização da propriedade. A grande maioria dos produtores, entretanto, realiza a modalidade de comercialização descrita no início desse artigo “venda no gancho”.

Em alguns lugares do Brasil, como o Rio Grande do Sul, a venda se processa por quilograma de peso vivo do animal, ou seja, não se aplica o conceito de arroba. O animal, é portanto avaliado pelo seu peso em kg.

Tabela 1. Rendimentos pré-combinados, em que se aplicam os percentuais sobre o peso vivo do animal

Embora haja distinção de preços entre a arroba da vaca e do boi, em boa parte do Brasil o consumidor adquire carne bovina, sem distinção de sexo, idade ou tipo racial. Honrosas exceções ficam por conta de “boutiques de carne”, gôndolas especiais em supermercados, etc, onde a rotulagem caracteriza o produto de forma mais específica. Em linhas gerais, quanto maior o poder aquisitivo da população, maior é a exigência em qualidade da carne.

Assine nossa newsletter!

Enviar