Cadeia produtiva da carne

O Brasil tem o maior rebanho comercial do mundo. A atividade pecuária é desenvolvida em dois milhões de propriedades, sendo que, para cada três hectares ocupados com atividade rural, dois são com pecuária, segundo dados do IBGE. É a única atividade agropecuária exercida no país inteiro. Pode-se dizer que a pecuária brasileira é sempre de corte, pois se tem o privilégio de transformar todas as vacas leiteiras e os machos leiteiros em carne, e os bezerros leiteiros em vitelos.

A pecuária é dentre todas as atividades desenvolvidas no país, a que gera o maior número de empregos. Se considerarmos os 40 mil caminhões boiadeiros que cruzam o país dia e noite, os frigoríficos e o comércio, somam-se 7,2 milhões de empregos diretos, não incluindo a indústria veterinária, os fabricantes de arame, de sal mineral, de tratores, de caminhões e etc., segundo dados da Secretaria da Agricultura do Estado de São Paulo.

Hoje a preocupação deve ser com a cadeia produtiva. Não há mais lugar para uma concepção isolada. A produção não pode se limitar ao boi para o frigorífico. É preciso saber identificar as preferências do mercado consumidor; carne com gordura periférica ou marmorizada, peças grandes ou pequenas, carne processada ou semiprocessada, carne resfriada ou congelada.

Para uma demanda consistente, é necessário que a oferta também seja adequada e permanente. É preciso além da qualidade, quantidade e regularidade para suprir o mercado. O consumidor quer encontrar no mercado, carne com as mesmas características, qualidade e constância, caso contrario ele procurará outro produto. A pecuária moderna não vende apenas boi ao frigorífico, o que se vende é a carne certificada de um boi de qualidade, com couro limpo, sem marcas que o depreciem, de animais bem manejados, bem tratados e sanitariamente sadios, que possam ser atestados.

A certificação, juntamente com a rastreabilidade, mostram ao consumidor a sanidade e a procedência do animal que deu origem àquela carne. Através deste conceito determina-se com precisão a origem da carne que está sendo posta a venda. Demonstra o local onde o animal nasceu, onde ele foi recriado, a forma que ele foi engordado, se foi a pasto, semiconfinado ou confinado, a raça, a idade, o sexo, o peso do animal abatido, o local do abate, a inspeção que ele sofreu e os resíduos biológicos encontrados. Isto dá transparência a toda a cadeia. O conceito de cadeia produtiva é essencial e assegura ao consumidor final a qualidade desejada.

É imprescindível que se passe da condição de mero produtor, voltado apenas para dentro da porteira da fazenda, preocupado exclusivamente com a produção de bois, à condição de empresário rural. O empresário deve ser capaz de planejar, organizar, liderar e controlar o seu negócio e sua empresa agropecuária, com visão de mercado e da cadeia como um todo. “Quando não se sabe onde se quer ir, qualquer caminho pode ser tomado”. O planejamento visa estabelecer metas e objetivos, diminuir riscos e estabelecer estratégias capazes de levar a propriedade, agora empresa, ao sucesso.

Bibliografia

Monografia do curso de pós graduação em Mercado de Commodities Agropecuárias da ESALQ – USP, 1.999, por Caio Junqueira


ou utilize o Facebook para comentar