Cade manda JBJ se desfazer do Mataboi

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) determinou que a JBJ se desfaça do Mataboi.  A decisão foi tomada ontem em sessão do conselho da autoridade antitruste. Todos os conselheiros votaram contra o negócio, que terá de ser anulado em 30 dias. Entretanto, as empresas devem levar o caso à Justiça comum para tentar reverter a decisão.

A decisão foi baseada na possibilidade de a JBJ, de propriedade de José Batista Junior, atuar em consonância com a JBS, na qual o empresário já teve participação e é controlada por seus irmãos, Joesley e Wesley Batista.

“Os incentivos para coordenação decorrentes da relação familiar são substancialmente reforçados, de modo que a participação das duas empresas é somada na análise concorrencial”, avaliou o Cade.

“Ato de concentração [como são chamadas as fusões e aquisições no jargão antitruste] é um controle preventivo de comportamentos. Uma operação reprovada pelo Cade não significa que requerentes cometeram ato lesivo”, afirmou o órgão.

A tese foi levantada pela Superintendência-Geral (SG) do Cade ao enviar o caso para o plenário. que fez sua análise incluindo JBJ e JBS em um mesmo grupo econômico.

Em seu parecer, a superintendência destacou como indicativo de atuação coordenada entre as duas empresas a eleição do dono da JBJ para o cargo de presidente interino da JBS, em setembro de 2016.
Priscila Gonçalves, advogada que representa JBJ e Mataboi, discordou da análise da SG.

“A intenção dele [José Batista Júnior] é separar a vida familiar da empresarial. Por isso usou os recursos da venda de sua participação na JBS para comprar sua própria empresa. A tese da coordenação não tem nenhuma evidência nos autos”, afirmou.

“Diante da falta de evidências, é complicado sustentar que existe coordenação entre esses grupos com base apenas nas relações de parentesco. É um caso em que influência externa não foi demonstrada”, disse.

Fonte: Valor Econômico, adaptada pela Equipe BeefPoint.

5 opiniões sobre “Cade manda JBJ se desfazer do Mataboi”

  • Eric Eduardo Bernardes de Paiva - 19/10/2017

    Esse cade tá de brincadeira, a jbj compra o mataboi quebrado devendo pecuaristas , arruma a casa em poucos meses , aumenta a exportação e agora essa de desfazer negócio. Que planeta que eles moram?

  • Helena - 21/10/2017

    É, essa JBJ é do SENHOR JUNIOR DA FRIBOI que ate pouco tempo estava infiltrado na JBS certamente ele participou de toda essa propina que existia.Daí a pouco ele vende suas ações na JBS para a sua família e abre outra empresa. Esse dinheiro que ele recebeu veio da onde? Das propinas?

  • Marco - 24/10/2017

    É evidente que estão juntos e misturados, só não enxerga quem não quer.
    Quanto a devolução isso não existe…. ou vendem a outro ou poem laranja pra operar.
    Dessa vez só não reassumiu a JBS, devido a esse problema, na anterior assumiu e mostrou o envolvimento. Ex sócio hahaha
    Brasill….. com $$$ e propinas ja ja dão jeitinho brasileiro!!!

  • Paulo ric - 06/11/2017

    Como uma empresa q se diz concorrente (JBS) nomeia um presidente do grupo concorrente (JBJ) para o cargo interino? Pior cego é o q n quer ver. Como tudo no Brasil, vai acabar em pizza. Sou colaborador do Mataboi, depois q esses malas assumiram, vi meu salário cair praticamente pela metade, pelo fato deles introduzirem a mesma política da JBS. A corda só arrebenta pelo lado + fraco msmo.

    • Eric Eduardo Bernardes de Paiva - 07/11/2017

      Agradeça a ele jbj por ter mantido seu emprego , ou então se não tiver satisfeito peça demissão.

Deixe seu comentário

Todos os campos são obrigatórios


ou utilize o Facebook para comentar