Balanço da JBS do 2o trimestre virá sem revisão do auditor

A JBS deve publicar o balanço consolidado do segundo trimestre sem a revisão e o consequente parecer do auditor externo. A holding que consolida os resultados do grupo é auditada pela BDO. O orçamento do serviço para este ano era estimado em R$ 2,8 milhões, segundo dados declarados à Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

A divulgação dos números está programa para a próxima segunda-feira, dia 14, após o fechamento do mercado. Consultada, a companhia informou por meio de sua assessoria de imprensa que não comenta o assunto. Também não há informação a respeito de quando a situação deve ser regularizada.

A questão central dos auditores são os controles internos da companhia e as discussões pertinentes, em razão das revelações trazidas à tona pelas delações de Joesley e Wesley Batista, os irmãos controladores do grupo J&F (dono da JBS), e que se tornaram públicas em maio.

Os irmãos declararam ter pago R$ 1,1 bilhão em propina a mais de mil políticos ao longo dos últimos anos — a maior parte via JBS. O montante inclui as doações eleitorais declaradas ao Tribunal Superior Eleitoral, como os R$ 360 milhões doados na disputa de 2014. Os pagamentos não declarados eram feitos, em maior parte, com uso de notas fiscais “frias”, ou seja, falsas, sem a prestação do serviço declarado.

Fonte: Valor Econômico, resumida e adaptada pela Equipe BeefPoint.


ou utilize o Facebook para comentar