Aftosa: SP adota nova programação para retirar vacinação em 2021

O Estado de São Paulo adotará em 2018 uma nova programação para vacinar o rebanho contra a febre aftosa. O objetivo, disse o secretário de Agricultura e Abastecimento, Arnaldo Jardim, em nota, é uniformizar o sistema com o calendário adotado pelos demais Estados da federação, a fim de retirar a vacinação em 2021.

Conforme o comunicado, todo o rebanho paulista será vacinado em maio de 2018, para que em novembro daquele ano tenha início a imunização apenas do rebanho com até 24 meses, concluindo a adaptação ao novo calendário.

“Assim, não haverá problema no trânsito dos animais e de status vacinal entre os Estados, com uma barreira imunológica para a retirada da vacinação”, explicou o coordenador de Defesa Agropecuária (CDA), Fernando Gomes Buchala.

Até 30 de novembro de 2017, deverão ser vacinados todos os bovídeos (bovinos e bubalinos) do rebanho paulista de 11 milhões de cabeças. Os animais vacinados em maio, que na época tinham até 24 meses, também devem ser vacinados.

A retirada da vacinação contra a febre aftosa está prevista no Plano Estratégico 2017-2026 do Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa, do Ministério da Agricultura. Para São Paulo, que pertence ao grupo IV, juntamente com os estados da Bahia, Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Sergipe e Tocantins, a previsão é em 2021.

Fonte: Estadão, resumida e adaptada pela Equipe BeefPoint.

Uma opinião sobre “Aftosa: SP adota nova programação para retirar vacinação em 2021”

  • Niurka - 07/11/2017

    Gostaria de ter mais informações sobre os assuntos contemplados na Nota Técnica n° 30/2017 – CNA.
    Tenho extrema clareza da necessidade de vacinação contra febre Aftosa de TODO o rebanho, todo ano, mas a qualidade do produto final e os custos envolvidos são também de importância no seguimento.

Deixe seu comentário

Todos os campos são obrigatórios


ou utilize o Facebook para comentar